“Queremos fazer um resgate de 90% da sala ou mais, como antes era possível fazer presencialmente”. Essas são as palavras do professor de matemática do Colégio GGE, Hugo Rioli, ao refletir sobre o atual cenário escolar, onde boa parte das crianças e adolescentes continuam acompanhando as aulas de casa e, em algumas situações, apresentam sinais de desmotivação e baixo rendimento. Quando questionado sobre a produtividade em aulas remotas, Hugo reforça que “alguns alunos precisam da aproximação com o professor”.

A dificuldade de concentração nas aulas e desinteresse dos alunos que estão em casa preocupa professores de todos os segmentos de ensino. É fato. Estudar sozinho e longe da presença física dos professores tem sido um desafio para muitos estudantes, que perdem produtividade e acumulam notas baixas em provas.

Para estimular a produtividade de alunos em aulas remotas, listamos 3 estratégias simples, cujo principal objetivo é transformar a sala de aula em um ambiente de aprendizagem. Confira!

Trabalhe a empatia

Para engajar alunos em aulas remotas, uma estratégia utilizada pela professora de português do Colégio GGE, Katilini Oliveira, é chamar, aleatoriamente, alguns alunos pelo nome e perguntar como estão. “Aquele quebra gelo que a gente tem no presencial, também funciona no remoto. Uma coisa que a gente não pode esquecer jamais é que o protagonismo é do estudante”, lembra a professora.

Outra forma de motivar a participação a partir de casa, é estimular a leitura compartilhada. “Sempre tem aquele aluno que gosta de ler. A partir daí, aparecem outros”, sugere. Assim, aos poucos, todos vão interagindo neste espaço e exercitando o conteúdo ensinado.

Elabore atividades com pontuação extra

Planejar uma dinâmica que contemple os alunos com certa pontuação costuma ser uma ação de sucesso nas aulas do professor de matemática do Colégio GGE, Hugo Rioli. “Quando apresentamos um conteúdo novo da disciplina, a prática imediata em sala de aula é de extrema importância. Uma maneira interessante de estimular a produtividade, ainda que em aulas remotas, é atribuir pontuação à atividade”, compartilha Hugo. Com essa estratégia o aluno pratica, aprende e ainda soma ponto extra.

Reinvente-se

Estar de mente aberta para as mudanças ajuda a compreender que agora, apesar de professores e alunos estarem diante de uma tela, ainda constroem relacionamentos humanos. “Trazer o aluno para dentro do processo ensino-aprendizagem é despertar nele o sentimento de pertencimento à escola. Tão importante neste momento em que estamos vivendo”, reforça a coordenadora pedagógica do Colégio GGE, Marta Ricarte.

Para a coordenadora, outra maneira de estimular a produtividade do aluno é com os uso de ferramentas tecnológicas capazes de complementar os assuntos vistos em sala de aula. “Os professores podem incrementar as aulas com vídeos e aplicativos que envolvam o aluno no processo de aprendizagem”, propõe. 

Notícias Relacionadas

0 respostas

Deixe uma resposta

Deseja deixar um comentário?
Seu comentário será bem vindo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *