Gamificação tem feito sucesso nas escolas nos últimos anos. Adaptado do inglês gamification, a modalidade faz parte das chamadas metodologias ativas de aprendizagem. O nome pode até parecer complicado, mas nada mais é do que empregar técnicas, comumente utilizadas em games, para desafios a serem resolvidos dentro da sala de aula.

A novidade, adotada e aprovada pelo meio acadêmico brasileiro, além de melhorar a compreensão do assunto estudado e vivenciado na prática, potencializa o aprendizado e motiva os alunos na realização completa da atividade. Divididos em equipes adversárias, os participantes trabalham, de forma dinâmica e divertida, temas do cotidiano e aspectos importantes do desenvolvimento humano, como: raciocínio, concentração, autonomia colaboração.

Projetos para inspirar a gamificação na sua escola

Selecionamos dois projetos interessantes e fáceis de implementar na sua escola. Mesmo em cenário de pandemia, com aulas exclusivamente em formato remoto, a gamificação pode ser trabalhada em plataforma virtual, como é o caso do Júri Simulado. Confira!

Júri Simulado

Define-se um tema e o problema que deve ser levado ao Júri Simulado. No debate, o professor faz papel de mediador e representa o juiz; os alunos são divididos em defensoria, promotoria (acusação) e jurados. Após argumentos apresentados pelas partes, vence a disputa o grupo que for mais convincente.

“Aqui no Colégio, o Júri Simulado faz parte da disciplina de Educação Física e é destinado aos alunos do Ensino Fundamental 2. A questão colocada em discussão é sobre qual formato de game tem mais benefícios: jogo eletrônico ou tradicional?”, conta Tayguara Velozo, gestor pedagógico do Colégio GGE.

De acordo com o gestor, os alunos abraçam a causa e se envolvem em todas as etapas do projeto. Desde a fase de pesquisa até a elaboração dos melhores argumentos para o dia da apresentação. A gamificação contribui bastante para o novo modelo de ensino e transforma o estudante num agente ativo do seu aprendizado. “A gamificação traz o lúdico, o desafio, reforça a imaginação. É, com certeza, um ganho pedagógico para a nova geração”, reflete Tayguara Velozo.

Júri Simulado trabalha criatividade, oratória e poder de argumentação.

Jogo de Tabuleiro

Pesquisa e prototipação são etapas fundamentais na criação do Jogo de Tabuleiro. Realizada, geralmente por alunos do Ensino Médio, a atividade exige o aprofundamento do conhecimento em algum tema do cotidiano, que será transformado, posteriormente, em fases de jogo com design arrojado.

Pela complexidade da tarefa, o artefato pode ser produzido por jovens de turmas mais avançadas e apresentado para alunos mais novos que, brincando, aprendem. Nesse processo de produção, a criatividade é peça-chave. Outro ponto que não pode faltar na gamificação é a constante troca de ideias.

“Na criação do nosso jogo de tabuleiro, cujo tema é Diabetes e Hipertensão, os alunos precisam aprofundar o conhecimento para construir uma estratégia coerente, que contemple todo o conteúdo estudado. Dessa forma, não só aprendem bastante como também se divertem”, observa Davy Daher, gestor de esportes do Colégio GGE.

Definitivamente, gamificação é tendência na educação do século 21 e pode estar presente na sua escola através de projetos simples, dinâmicos e capazes de envolver toda a comunidade escolar. Em formato de Júri Simulado, Jogo de Tabuleiro ou outra alterativa que utilize lógica e aplicação de regras, o conteúdo chega aos alunos de forma bem mais atrativa. Aproveite nossas dicas e explore essa incrível metodologia de aprendizagem!

Notícias Relacionadas

0 respostas

Deixe uma resposta

Deseja deixar um comentário?
Seu comentário será bem vindo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *