O novo programa tem como principal objetivo colocar o jovem como protagonista da vida escolar e apoiá-lo na construção do seu projeto de vida

A partir deste ano começou a ser implementada nas instituições de educação a reforma do Novo Ensino Médio, que visa corrigir as defasagens do atual segmento. A reformulação prevê o aumento da carga horária, o desenvolvimento do projeto de vida dos alunos e a inclusão de uma parte flexível do currículo.

O Novo Ensino Médio traz para as escolas uma possibilidade de flexibilização do currículo acadêmico. É a tentativa de aproximar cada vez mais a escola ao estudante. O atual formato possibilita, de uma forma geral, a criação de itinerários formativos e de disciplinas eletivas, aproximando o aluno ao aprendizado do que ele gosta e sente prazer e vocação em estudar mais. Além disso, prepara melhor o estudante para o mercado de trabalho, pois introduz disciplinas importantes para a vida profissional do aluno no futuro.

Esta implementação será feita de forma gradual, porém algumas escolas já adaptaram seus materiais e se prepararam para as mudanças exigidas, embora ainda existam muitas dúvidas em relação à reformulação do segmento.

O Sistema GGE de Ensino já implementou as mudanças e iniciou a nova metodologia no início deste ano, visando ajudar escolas parceiras a construírem um ensino médio de forma individualizada, levando em consideração a região e cultura local, aspectos fundamentais para proporcionar excelência no ensino e melhorar a experiência de aprendizado dos alunos.

As disciplinas eletivas do Novo Ensino Médio despertam o engajamento dos alunos porque, primeiro, são de livre escolha dos estudantes e contemplam as suas áreas de maior interesse; segundo, porque proporcionam experiência científica, na prática, e colaboram para que o jovem se torne, cada vez mais, o personagem principal no processo ensino-aprendizagem.

Entre as áreas de conhecimento que o aluno pode escolher estão: Linguagens (Comunicação e oratória; Línguas estrangeiras pelas telas do cinema), Ciências Humanas e Sociais (Direitos humanos; Compreendendo dilemas mundiais), Ciências da Natureza (O cérebro e as emoções; De que planeta você é?) e Matemática (Faz um Pix; Pensamento conectado).

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) passará por mudanças para adequar-se ao Novo Ensino Médio, modelo que começa a ser aplicado este ano em todo o país. As questões abertas ou discursivas serão valorizadas no novo Enem, e os estudantes que fizerem cursos técnicos terão bonificações na hora de concorrer a vagas no ensino superior. As novidades foram apresentadas, em entrevista coletiva, pelo Ministério da Educação (MEC). O novo Enem será aplicado a partir de 2024.

Segundo o MEC, as provas, que atualmente são compostas apenas pela redação e por perguntas objetivas de múltipla escolha, passarão a contar com outros formatos, como as chamadas questões abertas ou discursivas, nas quais o estudante escreve a resposta e não apenas seleciona uma opção.

“A expectativa é bem positiva em relação a esta reforma. Algo precisava ser feito, pois existiam muitos abandonos escolares na realidade nacional, o despreparo dos estudantes quando ingressavam no mercado de trabalho era grande, entre outros pontos que precisavam melhorar e que outros países já utilizavam como método. Aparando estas arestas e sendo conduzido de maneira séria pelos órgãos competentes, este Novo Ensino Médio só veio beneficiar os alunos e, consequentemente, o crescimento do país”, explicou o gestor pedagógico do Colégio GGE, Tayguara Velozo.

O Novo Ensino Médio tem como principal objetivo estimular o engajamento e o protagonismo dos alunos, dando mais sentido ao futuro que já começou.

Notícias Relacionadas

0 respostas

Deixe uma resposta

Deseja deixar um comentário?
Seu comentário será bem vindo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *